Crescimento é tendência para o marketing cultural brasileiro

Shows, festivais e apresentações ao vivo não são apenas diversões para o público, mas também um dos principais elementos para o crescimento do marketing cultural no país. A Dançar Marketing, empresa que atua no setor há mais de 30 anos, prevê que o faturamento total da área será de R$12 bilhões, seguindo a tendência de crescimento dos últimos dez anos, que alcançou a marca de 300%.

Dados do Ministério da Cultura também ajudam a comprovar a importância econômica desse tipo de marketing no país. A Lei Rouanet, principal mecanismo de financiamento à cultura no Brasil, movimenta cerca de 150 mil empresas culturais.

Apesar da tecnologia ter ocupado um grande espaço na sociedade, os especialistas indicam que um dos elementos que levarão as pessoas, no futuro próximo, a saírem de casa é ter a experiência de consumir entretenimento e que a força sensorial dos eventos ao vivo não poderão ser substituídas por opções domésticas. Um grande exemplo disso, são os eventos culturais que buscam oferecer aos consumidores novas experiências utilizando os cinco sentidos como o olfato ou o tato.

As empresas estão a cada dia enxergando o grande potencial que o marketing cultural possui como canal de comunicação entre as empresas e o público-alvo. Diante desse cenário positivo, os empresários e a sociedade ganharão em dobro, pois mais investimentos significa novas oportunidades de difusão da cultura e do conhecimento para todos. O país cresce economicamente, mas acima de tudo, culturalmente.

FAÇA PARTE DO PROJETO

O Implantando Marketing visa a união dos profissionais das áreas de Marketing e Comunicação Empresarial e busca formas de divulgação e crescimento dessas áreas através da Implantação de Departamentos de Marketing e Comunicação em pequenas e médias empresas. Para isso, compartilhamos experiências e conhecimentos necessários aos profissionais e empreendedores que querem se beneficiar dessa Implantação. Envie o seu currículo e escolha um dos núcleos do projeto.

Deixe um comentário

5 comments

  1. Eliane,

    fico muito feliz de ver que BH está iniciando, com a reforma do mineirão, uma série de shows internacionais. Além de ser muito carente em entretenimento, a capital é ávida por estes eventos e as pessoas possuem grana para isto.

    O que falta é um empresário que deseje investir na cidade e ganhar dinheiro. às vezes, eles não ganham, por isto não trazem….mas disto eu não entendo.

    Até mesmo shows nacionais que acontecem no Palácio das Artes, estão sempre com ingressos esgotados e as apresentações são curtíssimas, apesar de estar mudando.

    Me lembro da enorme fila para compra de ingressos do show do Chico Buarque, o que trouxe gente do interior para ver o cantor. Vi também no show de Maria Bethânia, que se apresenta na maioria das vezes em uma sexta e sábado, que os ingressos acabam em 2 horas.

    E com o show do ex Beatle foi a mesma coisa…..então, estamos prósperos/sejamos prósperos para recebermos mais e mais artistas.

    agora aé espera pela Beyoncé….rs.

    PS.: não citei ainda as manifestações culturais, as peças de teatro, os espetáculos de dança e eventos de rua, criados por marcas que fomentam este grande mercado.

    Ah, há duas semanas, o programa Domingo Espetacular mostrou a ascensão deste mercado, dando como exemplo, a história empreendedora do Rock In Rio. Vale muito a pena vê-la.

    Abraço.

  2. Eliane Lages

    Oi Heron,

    Realmente, BH está se tornando um grande centro cultural com essa abertura para shows internacionais. Talvez, seja um reflexo do atual crescimento do marketing cultural apontado pelos especialistas. Isso é muito bom, espero que as empresas possam investir cada vez mais para gerar um ciclo virtuoso para a economia brasileira, conhecimento e novas oportunidades de aprendizado para a sociedade.

    Ainda não tive a chance de ver esse programa que você citou do Domingo Espetacular. Mas, vou procurar na internet. Deve ser bem interessante!

    Abraços, Eliane.

  3. Izabela Reis

    Acho excelente que Belo Horizonte esteja entrando no cenário dos grandes centros culturais, porém acho que a cidade ainda não esta muito preparada, levando em consideração a parte de infraestrutura, vejo porém que a rede hoteleira essa sim, esta investindo muito apostando nesses grandes eventos já confirmados para a cidade. Parabéns pelo post Eliane.

  4. Que legal Eliane.

    Espero que cada vez mais as empresas possam se conscientizar da importância do marketing cultural e que tantas outras possam se beneficiar dos incentivos para promover ações em que os clientes sejam beneficiados.

    Abraços,

    Priscila

  5. Eliane Lages

    Oi Izabela e Priscila,

    Obrigado pelos comentários. A conscientização por parte das empresas sobre os investimentos na área de marketing cultural é de extrema importância. Mas, também concordo com a Izabela em relação a infra-estrutura para o bom andamento dos eventos na cidade. Na verdade, deve haver uma parceria entre as empresas, o governo e a sociedade para o êxito do setor no país.

    Abraços, Eliane.