Você gostaria de trabalhar sem chefe?

Oi Gente! Estou aqui de volta para o nosso post do mês, e agradecendo a você por sempre colocar meus artigos entre os dez mais lidos do blog (no Top 10). Obrigado!

Como de costume, o objetivo do artigo é responder algumas perguntas sobre a temática carreira. Dessa vez, o tema é uma pergunta que acredito que a maioria das respostas será “sim!”. Confira algumas perguntas e respostas que recebi de seguidores nas redes sociais e leitores do blog.

Empresas sem hierarquia é um sonho ou já é realidade?

Acredito que você está percebendo o quanto o mercado está mudando. Uma demonstração bem clara desse movimento é o surgimento de profissões que se faladas há algum tempo atrás ninguém acreditaria, principalmente, essas mais voltadas a tecnologia. Então, a resposta para a pergunta inicial é sim!

Esta autonomia dos colaboradores nas empresas tem até nome, é a hierarquia horizontal, onde a gestão dos projetos é partilhada, isto quer dizer que, mesmo não tendo chefe direto você terá um monte de gente que pode opinar em suas atividades, a melhor parte disso tudo é que você pode fazer isto também.

Vou desmitificar uma ilusão alimentada por muitos que querem trabalhar nesse formato “autônomo”.

Trabalhar sem uma pessoa na sua cola não significa que você estará livre de metas e prazos, este modelo só assegura que você trabalhe a autogestão, e não que seja um funcionário sem direção.

Qual o perfil desse profissional que deseja autonomia no trabalho?

Três gerações estão por aí, a X, Y, e Z. Cada uma com a sua peculiaridade, e este perfil caracteriza o modelo de gestão mais adequado. Para resumir e esclarecer sobre a influencia da geração no modelo de gestão e mercado, digo que esta é a vez da “Y” influenciar as mudanças. Já que está geração nasceu (entre a déc. de 80 a 90) em um momento de muitas mudanças no mercado, estimulados a múltiplas tarefas, imersão no meio digital, entre outras regalias que seus pais da geração X não tiveram. Por terem esse perfil são seres que normalmente não costumam respeitar hierarquização, também são mais imediatistas, que a geração de seus pais e por isto, lutam por salários e empregos bons logo no começo da carreira.

Bom, tendo essas informações observamos que o emprego que esse “povo” quer trabalhar é algo bem difícil. Por conta de tantas mudanças no perfil dos colaboradores, o mercado está se adaptando e mudando para recrutar, selecionar e reter esse publico. Uma das mudanças está no desenvolvimento da autogestão, a autonomia em realizar suas tarefas, ou melhor o trabalho, sem ter um chefe.

Quem não tem esse perfil está desatualizado e fora do mercado?

Não mesmo!!! Se você não tem perfil, não se desespere. Por favor, interprete o mercado como um grande complexo de atividades e que tem espaço para todos os perfis inclusive o seu, que para desenvolver uma tarefa precisa de uma orientação e acompanhamento de um gestor direto. Há! Isto não é defeito, é perfil, ok?!

Não existe empresa ou colaborador ruim e sim mau colocado, fora do perfil adequado. Então, se conheça, maximize seus pontos fortes, e aperfeiçoe seus pontos fracos e seja feliz, com ou sem chefe.

Obrigado por você ter lido até aqui, espero que seja útil a você. Aproveite e compartilhe com sua rede, e não se esqueça de deixar seu comentário, ok?!

Até a próxima e #vivalavida!!!

 

FAÇA PARTE DO PROJETO

O Implantando Marketing visa a união dos profissionais das áreas de Marketing e Comunicação Empresarial e busca formas de divulgação e crescimento dessas áreas através da Implantação de Departamentos de Marketing e Comunicação em pequenas e médias empresas. Para isso, compartilhamos experiências e conhecimentos necessários aos profissionais e empreendedores que querem se beneficiar dessa Implantação. Envie o seu currículo e escolha um dos núcleos do projeto.

Deixe um comentário