Qual é a importância de se projetar produtos ou serviços que levem em conta a experiência do usuário (pessoa) ?

Em meio à facilidade a informações, a aceitação de produtos e serviços tem passado por um crivo cada vez mais exigente, mais crítico.

A era 3.0 reflete o imediatismo das ações, seja ela positiva ou negativa, obrigando aos gestores a ações rápidas e eficazes para que se obtenham bons resultados.

O Experience Design, ou Experiência do Usuário, vem apresentar um processo inovador para se propor novos produtos e serviços. Esse processo se baseia em um relacionamento com o usuário, de modo que você possa desenvolver algo que seja relevante para as pessoas.

Essa importância é mensurada no resultado final, onde a aceitação e o engajamento das pessoas são fatores básicos para se desenvolver ou redesenhar um produto. Leva-se em conta todo seu contexto de uso, focar idéias (conceito), nas experiências do usuário (experiência de uso), de modo que faça sentido para quem vai utilizar.

A partir dessa experiência, analisar e focar o público de interesse (quem são os perfis), para quem evidenciar de fato o produto ou serviço, mapear usuários, analisar as métricas, projetar o comportamento do usuário.

Propor um novo produto ou serviço levando em conta o modo de pensar da empresa e/ou uma análise em um mercado de massa induz ao erro, pois não levou-se em conta a necessidade do usuário, suas limitações e dificuldades de uso, ou seja, não ofereceu solução capaz de propor as pessoas capacidade de utilizar o produto ou serviço sem stress obtendo resultados eficazes.

Todas essas análises permitem organizar o modelo mental dos usuários que pode ser representada por meio de card sorting – técnica de organizar as informações ou conteúdos para os usuários, determinando a ordem que faz sentido para as pessoas _ assim como fazer uma prototipação – uma planta baixa que identifica na interface a localização de cada item _ testando sua acessibilidade e usabilidade, onde o objetivo é validar a facilidade de compreensão que o produto oferece.

Portanto, a experiência das pessoas oferece a possibilidade de aquisição de conhecimento que tem como objetivo a execução de uma determinada tarefa a partir de seus costumes e do que se espera que o produto ou serviço façam como ele deve funcionar.

Essa experiência e conhecimento possibilitam um resultado eficaz, positivo e que o induzirá ao acerto, pois, tende a apresentar uma solução permitindo que as pessoas encontrem facilidade na utilização do produto ou serviço.

Imaginem como deveria ser a timeline do Facebook para você? Qual é a dificuldade que você encontra hoje? E por quê? Reflita a respeito e compartilhe sua opinião.

FAÇA PARTE DO PROJETO

O Implantando Marketing visa a união dos profissionais das áreas de Marketing e Comunicação Empresarial e busca formas de divulgação e crescimento dessas áreas através da Implantação de Departamentos de Marketing e Comunicação em pequenas e médias empresas. Para isso, compartilhamos experiências e conhecimentos necessários aos profissionais e empreendedores que querem se beneficiar dessa Implantação. Envie o seu currículo e escolha um dos núcleos do projeto.

Leave a Reply

6 comments

  1. Por trás dessa nova maneira de pensar que apresentou acima Geise, mostra que o mercado ficou muito mais exigente, tanto para quem produz, quanto para quem consome.

    Sim, o ser humano está mais complexo e isso é bom, uma sociedade mais informada é uma sociedade que busca mais valores e produtos que agreguem a sua vida.

    Hoje há uma busca mais semântica para informações e produtos. Podemos dizer que é uma busca mais sustentável, ou seja, não se compra ou consome algo, mas sim, compra-se ou se consome algo porque é útil e tem relevância.

    A segmentação e personalização são tendencias em todas as áreas. Se ainda não é personalizado, é porque o mercado não está maduro.

  2. Geise Souza

    Obrigada pela participação Victor. O cliente, no meu ponto de vista, quer ser visto e valorizado como único e é aí que a personalização ganha seu espaço.

  3. Excelentes pontos, Geise.
    De fato, muitas empresas estão começando a dar mais importância a 2 momentos essenciais na relação com o usuário:
    . “User Experience”: a Experiência de uso, continuado, do produto/serviço
    . “Purchase Experience”: a Experiência no momento da compra

    Fabricantes normalmente se focavam no primeiro, e varejistas no segundo. Mas ultimamente, alguns fabricantes passaram a dar atenção tbem ao segundo – o momento da compra, por uma lógica muito simples: se não houver a compra, e essa experiência não for positiva, não haverá a experiência de uso.

    Portanto, o momento de compra não é apenas preocupação do Varejista, senão do Fabricante tbem. E quem ganha com isso, sem dúvida, é o Consumidor.

    $uce$$o a todos! Abraços. :)

  4. Ola Geise,

    Interesante o seu post, considero súper positivo essa interacao com o cliente, o resultado final pode ficar Mais próximo do esperado.

    Abs

    Priscila

  5. Geise Souza

    Obrigada pela participçao André e Priscila!

  6. Excelente abordagem, Geise.

    Hoje vivemos a inversão na comercialização, o consumidor esta no poder, e não basta só apresentar produtos novos. Realmente é preciso agregar valor, levando em conta a experiência do alvo.