Boas perspectivas para o geomarketing em 2012

Feliz ano novo a todos! Meu primeiro post do ano dedico a uma análise geral sobre o Brasil e o potencial de crescimento do mercado de geomarketing e, consequentemente, nas oportunidades que ele pode oferecer. Esperamos ter boas perspectivas para o geomarketing em 2012
O crescimento da economia brasileira, que, aparentemente, ainda nãosentiu de forma direta os efeitos da crise do setor imobiliário estadunidense eda dívida dos países do euro, e a oportunidade de sediar eventos esportivos degrande porte (Olimpíadas e Copa do Mundo de Futebol), oferecem ao país um bônusinteressante, um momentum único, que não pode ser perdido. O otimismo contaminavários setores, principalmente o executivo político – Brasil pode ser quinta economia domundo antes de 2015.
No lastrodeste cenário, um setor que está em franca expansão no país é o de prestação deserviços de Inteligência competitiva, em especial, o de geomarketing. Dados domercado financeiro lançados atualmente desencorajam um potencial investidor.Segundo Nara Faria, “A bolsa brasileira finalizou o anode 2011 com queda de 18,11%”. Investimentos espaciais, ou seja, concretos,ganharam força após o fatídico outubro de 2008, e tudo indica que continuarãoseguindo este ritmo, em especial, nos países em desenvolvimento.
A aberturade novos pontos de vendas, sejam eles pequenos, de poucos metros (lojas dechocolate, restaurantes, sapatarias, cafés, etc.) ou mesmo, de grande/megaporte, de muitos metros, tais quais, hipermercados, shoppings, plantasindustriais, condomínios residenciais, etc. precisam ser meticulosamenteplanejados.
O espaçogeográfico é um bom termômetro para estes momentos críticos, de inconstantesmudanças. O que é praticamente um consenso entre os especialistas, é o fim do mercado de massas, de produção intensa. Houve umamudança de perspectiva, não sei precisar ao certo uma data, mas não basta umaempresa apenas produzir, ela tem que criar o desejo. Forma-se uma verdadeira“geografia dos desejos”, favorecida pela estabilidade político-democrática.Neste ínterim, a busca por nichos acirra-se.
Pesquisa da Amcham detecta queempresas brasileiras já reconhecem vantagens do uso de ferramentas degeomarketing”, recente(dezembro 2011), revelou que o empresariado brasileiro está disposto a apostarem soluções de geomarketing. A cada dia que passa, o geomarketing deixa de serapenas uma ferramenta pontual e para tornar-se uma necessidade vital.
A integração de bases de diversasfontes (vendas, fornecedores, clientes, etc), encontra a sua mais perfeitaforma quando visualizadas espacialmente e temporalmente. Movimentação das peçasno tabuleiro. Abre-se a possibilidade do entendimento dos movimentos, tanto, daprópria empresa, quanto dos concorrentes e afins, e no geral, do mercado comoum todo, que exigem importantes processos decisórios.
Num processo de tomada de decisão, segundo a Adm. Trajano Lima, alguns fatores podem contribuir: responsabilidade e transparência, conhecimento especializado, coordenação entre as partes, habilidade política e administração do tempo. Ainda no rastro de Trajano Lima, com a complexificação do sistema mundo, dois conceitos interessantes corroboram para um entendimento mais claro do processo, o de Heurística e Viés Cognitivo, ou seja;
Heurística: regras práticas desenvolvidas pelos indivíduos para reduzir as exigências de processamento de informações da tomada de decisões e;
Viés Cognitivo: aplicação da heurística de maneira inadequada ao se tomar uma decisão.
Alguns executivos e tomadores de decisões ainda insistem em deixarem-se levar pelo vento, pelo feeling, pela experiência, e acabam acometidos pelo viés cognitivo,talvez pela falta de informações estruturadas e confiáveis e, principalmente de rápida consulta.
Não há um momento certo para a busca de ferramentas e estratégias de geomarketing. Creio que ele possa corroborar, seja para empresas entrantes, seja para empresas consolidadas, que têm que se renovarem constantemente para manterem-se dentro do jogo do sistema de mercado. Um artigo interessante de Luciano Vicenzi, sobre os famosos pês do marketing (sempre descobrem mais um) e, agora também, da estratégia, vale a pena dar uma olhada.Os 7 Ps do Marketing e os 5 Psda Estratégia”.
Não tenho dúvida nenhuma que o geomarketing pode ser aplicado pontualmente em cada “P”, ou deforma integrada para otimizar a acurácia das ações e tornar a empresa uma referência, uma líder, ou ao menos, uma aspirante em potencial e, por isso mesmo, justamente respeitada.

FAÇA PARTE DO PROJETO

O Implantando Marketing visa a união dos profissionais das áreas de Marketing e Comunicação Empresarial e busca formas de divulgação e crescimento dessas áreas através da Implantação de Departamentos de Marketing e Comunicação em pequenas e médias empresas. Para isso, compartilhamos experiências e conhecimentos necessários aos profissionais e empreendedores que querem se beneficiar dessa Implantação. Envie o seu currículo e escolha um dos núcleos do projeto.

Leave a Reply

1 comment

  1. Priscila Falcchi

    >Paulo, parabéns!

    Gostei muito texto. Comecei a fazer uns estudos básicos para a implantação de algumas técnicas de geomktg numa rede de mercadinhos onde sou gerente. Espero que dê resultados.
    E mais uma vez, parabéns.