Currículo x Internet

Há poucos dias o Estadão publicou um artigo excelente intitulado “Jogue o currículo fora“ , citando um caso real em que o candidato perfeito para uma oportunidade de trabalho perdeu a vez em função de sua postura inadequada nas redes sociais. Fiquei pensando sobre o que li e refletindo sobre quantos dos meus bons amigos ou contatos profissionais realizam postagens inadequadas nessa “casa de janelas e portas abertas” que é a internet.

Vivemos em uma era de transparência. Nada fica oculto na web. Algumas redes sociais, como o Facebook e o Twitter até oferecem recursos para que possamos ocultar nossa vida privada. Porém, com uma pequena busca no Google ou similar nosso passado poderá ser revelado, caso algum conhecido tenha publicado aquela foto imprópria destacando nosso nome. Além disso, postagens em fóruns e blogs certamente irão aparecer.

Invasão de privacidade? O que eu faço na minha vida pessoal é problema meu? É… bem, como posso dizer… as coisas não funcionam bem assim. A web é uma vitrine e o que lá está torna-se público.

O segredo? Evitar excessos e manter uma postura adequada em todas as situações (ou ao menos na maior parte delas). Não significa que você não possa ser espontâneo, apenas que as empresas que buscarem pessoas com determinados valores poderão descartá-lo se concluírem que você não os compartilha. E se não compartilha é melhor que descartem mesmo. O problema é ser mal julgado por uma gracinha fora de hora. Na dúvida, melhor prevenir e dar mais atenção para a sua presença virtual. Nunca se sabe quem está navegando.

FAÇA PARTE DO PROJETO

O Implantando Marketing visa a união dos profissionais das áreas de Marketing e Comunicação Empresarial e busca formas de divulgação e crescimento dessas áreas através da Implantação de Departamentos de Marketing e Comunicação em pequenas e médias empresas. Para isso, compartilhamos experiências e conhecimentos necessários aos profissionais e empreendedores que querem se beneficiar dessa Implantação. Envie o seu currículo e escolha um dos núcleos do projeto.

Leave a Reply

5 comments

  1. Clayton Alves Cunha

    Parabéns pelo tema e pelo texto Aline.

    Já presenciei áreas de RH realizando a análise dos candidatos nas redes sociais e descartando determinados CV’s pelo não enquadramento nos valores.
    Temos que tomar muito cuidado com nossa atitude nas redes… infelizmente, privacidade não é uma palavra efetiva quando fazemos parte de redes sociais.

    []’s

    Clayton Cunha

  2. Ótimo ponto Aline,

    Canso de falar que redes sociais não servem só para jogar papo fora com amigos e colegas, além disso, é importante ter em mente que as pessoas ficam expostas as outras pessoas.

    Esses dias eu vi um documentário falando justamente sobre essa questão de confidencialidade, num exemplo onde fotos pessoais podem ir parar na mão de qualquer um, inclusive de um futuro empregador….

    Precisamos estar atentos a tudo isso, e no âmbito profissional não é diferente!

    Abraços!

  3. O problema que este tipo de limitação não lhe deixa livre. Se você participa de um fórum ou grupo sobre histórias em quadrinhos, por exemplo, será que deverá ser sempre o politicamente correto num lugar em que todos estão apenas se divertindo? É claro que todos devem ter cuidados, mas todo cuidado em excesso acaba por tirar a sua liberdade de interagir. Se você brinca demais, não te acham sério ou que é capaz disso ou aquilo. Se você é sério, você não é capaz de brincar…tantas conclusões precipitadas. Pior é quando você deixa de comentar ou interagir com medo de ser mal interpretado ou coisas do tipo.

  4. Verdade Marcos,

    Acho que bom senso na medida certa não faz mal a ninguém, tanto para o “candidato” como para o recrutador.

    Mas no exemplo que você deu, sobre quadrinho, coisa boba, mas já dá para ver a forma com que a pessoa fala com as outras, como escrever… Claro, sem entrar no mérito de “kd” ou cade… ou… Mas ainda acho válido esse tipo de participação.

  5. Certa vez li no (http://www.brandautopsy.com), umas dicas sobre “ética”/comportamento online, que gosto bastante.

    Basta adicionar as palavras “online” ao bom e velho bom senso, assim:
    . Não compartilhe informações financeiras confidenciais… online
    . Não faça comentários depreciativos a Empresas e Pessoas… online
    . Não discuta assuntos sigilosos da Empresa ou Pessoas… online
    . Peça permissão das Pessoas antes de publicar fotos delas… online
    . Não faça comentários hostis ou ofensivos às Pessoas… online

    Tirando os “online” das frases, são algo que aprendemos de casa, não é de hoje.
    Portanto não deveria ser tão difícil sermos éticos nesse sentido.