Estamos Presenciando o Varejo Voltar às Origens?

Anteriormente, aqui no Blog Implantando Marketing, já tive a oportunidade de explorar a importância dos mercados regionais no atual cenário estratégico e mercadológico.

Com o controle da inflação (prefiro acreditar ainda que ela está controlada), e o acesso dos consumidores às informações abundantes, a necessidade das grandes compras, ou “compras de mês”, que existiam antigamente é bem menor, o que faz os consumidores frequentarem mais suas lojas de varejo prediletas e como consequência esses mesmos consumidores estão em busca de conveniência para suas compras de rotina.

Para fundamentalizar a teoria acima, faça um exercício introspectivo :  Quantas vezes você ia ao supermercado há 10 anos atrás e quantas vezes você vai ao supermercado hoje comprar as coisas mais corriqueiras? Provavelmente sua frequência hoje é maior que a sua frequência há 10 anos atrás.

Dado o cenário atual, temos a maturidade de alguns modelos já consagrados como o dos hipermercados e o ressurgimento de modelos que até então não estavam na “moda”, como os mini mercados e até mesmo dos Armazéns, Quitandas e Mercearias.

O fato de termos esse modelo ressurgindo das cinzas como a Fênix (karma!), mostra que o Varejo está “voltando pra casa”, ou voltado às origens. Todos nós temos lembranças de algum desses estabelecimentos que frequentávamos na infância e perceba agora que eles estão voltando com força total.

Essa volta às origens acontece devido à evolução do comportamento do consumidor, bem como, dos fundamentos econômicos e já causa a preocupação, bem como, o estabelecimento de estratégias de Mini Mercados, nas grandes redes de varejo estabelecidas.

O Grupo Pão de Açúcar, maior rede de varejo do Brasil, dono de marcas como Extra, Pão de Açúcar, Casas Bahia e Ponto Frio, estabeleceu que em 2013, seu crescimento no número de lojas se dará através da abertura de Mini Mercados.

Os Mini Mercados tendem a ser mais rentáveis, uma vez que possuem pouca área e teoricamente adaptam-se às preferências dos consumidores regionais.

Que tal dar uma volta em seu bairro para verificar as novidades dos mini mercados, quitandas, armazéns e Mercearias? Você pode se surpreender!

Até a Próxima!

 

FAÇA PARTE DO PROJETO

O Implantando Marketing visa a união dos profissionais das áreas de Marketing e Comunicação Empresarial e busca formas de divulgação e crescimento dessas áreas através da Implantação de Departamentos de Marketing e Comunicação em pequenas e médias empresas. Para isso, compartilhamos experiências e conhecimentos necessários aos profissionais e empreendedores que querem se beneficiar dessa Implantação. Envie o seu currículo e escolha um dos núcleos do projeto.

Deixar um comentário para Leandro Godoy Cancelar comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

7 comments

  1. Jeovani

    Tive a oportunidade de efetuar compras em pelo menos 5 mini-mercados em diferentes regiões tais como Extra, Pão de açúcar.
    Com os mini-mercados as empresas podem direcionar os produtos ao publico alvo daquele local, com custo de instalação bem menor, abrindo concorrencia direta com autonomos e supermercados de pequeno porte, a diferença esta no valor da mercadoria, o mini-mercado oferece o mesmo custo beneficio do Super ou Hipermercado, assim trazendo total comodidade ao cliente.

    • Clayton Alves Cunha

      Jeovani,

      Não sei se oferece exatamente o mesmo custo-benefício, porém é uma estratégia mercadológica muito válida!

      Obrigado pelo comentário!

      []´s

  2. Interessante, assim como a moda, o mercado tende a ter um ciclo vicioso. Logo, logo, teremos novos hipermercados (ou algo similar) roubando a cena novamente.

    • Clayton Alves Cunha

      Leandro,

      Obrigado pelo comentário!!

      []´s

      Clayton Cunha

  3. Excelente artigo Clayton! Atuo com o pequeno varejo há 6 anos e vejo, cada vez mais, as indústrias se voltando para este cliente.

    Como os clientes passaram a fazer suas compras de modo “picado” – acabou para muitas famílias a famosa compra do mês, feita em hipermercados -, e a quantidade de pessoas solteiras hoje é superior há anos, torna-se mais competitivo para as indústrias estarem do lado dos pequenos e médios clientes.

    Eles ganham, os clientes lojistas também e o consumidor final, também, porém, levando para casa um produto com preço superior ao praticado em hipermercado ou cash & carry.

    Mas ter a praticidade de comprar o que deseja do lado da sua casa, sem precisar se estressar com estacionamento, trânsito, etc, etc, na maioria das vezes compensa.

    Grande abraço!

    • Clayton Alves Cunha

      Heron,

      Como sempre, ótimas considerações!
      Obrigado pelo comentário!!

      []´s

      Clayton Cunha

  4. André Faccin

    Percebi isso de uns meses pra cá… Espero que seja possível fazer o mesmo no ramo de vestuário, por enquanto está parecendo que sim… Sabe bem do que estou falando né Clayton rsrs ??? Abraço …