Do Marketing Estratégico para a Gestão Estratégica de Marketing

Olá, amigos! Feliz 2014 para todos com muito sucesso seja na vida pessoal, profissional, saúde, enfim façamos deste, um ano especial em nossas vidas!

Pensando sobre meu primeiro artigo de 2014, hesitei um pouco, pois queria algo especial para começarmos o ano já engajados aos princípios do Marketing Estratégico, e qual minha surpresa quando veio na minha mente a incógnita, dentre tantos termos acompanhados pela palavra Marketing quais são realmente corretos ou são usados indevidamente.

Lembrei-me que já havia lido sobre isso e fui à procura. Após uma breve e nova leitura nos meus materiais conclui que seria um assunto excelente para expor àqueles, como eu, amantes do Marketing, o qual, mesmo com toda sua abrangência muitas vezes tem seu nome utilizado inadequadamente.

De modo geral as pessoas chamam vendas de marketing, porém vendas é apenas uma das ações dentro da ampla cadeia do Marketing Estratégico.

Certas expressões foram sendo adicionadas aos “Tipos de marketing” com a intenção de fornecer um nome para algo novo, que está “na moda”, porém que não configura o Marketing em si, mas pequenas ações parciais do marketing e, em alguns casos, utilizam equivocadamente, em atividades de comunicação.

Algumas expressões incorporadas ao mundo dos negócios:

  • Marketing de guerra
  • Marketing pessoal
  • Endomarketing
  • Telemarketing
  • Marketing direto
  • Marketing viral
  • Marketing Esportivo
  • Marketing cultural
  • Etc…

Essas situações levam a utilização da palavra marketing com o objetivo de usá-la como um adjetivo que caracterize uma novidade da área.

Peguemos como exemplo de uso indevido a expressão Marketing Esportivo. Quem faz Marketing esportivo?! A Parmalat? O que ela vende? Sim, produtos derivados do leite e não jogos de futebol, então é errôneo dizer que a Parmalat fazia Marketing Esportivo, o que ela fazia era utilizar-se de uma ferramenta de comunicação, o patrocínio, para divulgar seus produtos, tanto que quando começaram suas dificuldades financeiras pôde abandonar o patrocínio e dedicar-se somente à sua área, Marketing de Alimentos.

Outro exemplo é quando dizemos que um banco ou instituição financeira que patrocina casas de espetáculos, galerias ou exposições está fazendo Marketing Cultural. Não, quem faz Marketing Cultural é qualquer instituição criada com o objetivo de promover a cultura, como por exemplo, a Fundação Itaú Cultural, porém o Banco Itaú continua sendo uma instituição financeira com o objetivo de vender seus produtos e serviços financeiros.

Por outro lado, temos termos que junto com a palavra Marketing deram muito certo !!!

Por exemplo, a expressão Marketing Reverso. O que é isso? É a Gestão Estratégica de Marketing visando o mercado fornecedor.

Partindo-se da ideia de que bons produtos ou serviços nascem de boas matérias-primas ou de bons profissionais, podemos entender o quanto é importante identificarmos no mercado, fornecedores idôneos e parceiros, e buscarmos dessa união resultados que nos levem aos objetivos finais do Marketing, por isso, a ligação entre a expressão Marketing Reverso e o fornecedor faz sentido.

Espero ter dado uma ideia de quando usarmos ou não certas expressões ou se devemos ou não acrescentar a palavra Marketing a elas. Lembre-se que seus comentários são muito bem-vindos, então aproveitemos para interagir.

FAÇA PARTE DO PROJETO

O Implantando Marketing visa a união dos profissionais das áreas de Marketing e Comunicação Empresarial e busca formas de divulgação e crescimento dessas áreas através da Implantação de Departamentos de Marketing e Comunicação em pequenas e médias empresas. Para isso, compartilhamos experiências e conhecimentos necessários aos profissionais e empreendedores que querem se beneficiar dessa Implantação. Envie o seu currículo e escolha um dos núcleos do projeto.

Leave a Reply

2 comments

  1. Isabel, adorei o artigo! Escrita clara, assunto interessante, muito bom!

    • Bel Cabreira

      Obrigada, Thaísa !!! :-)

      Fico feliz que esteja claro !