Marketing pessoal: aprenda a vender sua imagem

São poucos os brasileiros que dizem ser confiantes para falar de suas conquistas pessoais. Pesquisa realizada pela “At Work”do LinkedIn, aponta que apenas 38% são capazes de fazer seu marketing pessoal, ou seja, tem habilidade de vender a sua imagem. Esta dificuldade que nós temos pode dificultar nosso networking, mas com jogo de cintura podemos resolver isso. Pedi a um amigo, que relatasse como conseguiu usar o marketing pessoal a seu favor mesmo vivendo em uma outra cultura. Confiram as dicas!

Jonas Augusto Silva, 25 anos, Barcelona Formado em Comercio Internacional Atualmente colabora com StartUps e Estuda Marketing e Investigação de Mercados na UniversidadOberta de Catalunya.

Jonas Augusto Silva, 25 anos é formado em Comércio Internacional e vive em Barcelona. Atualmente, colabora com StartUps e Estuda Marketing e Investigação de Mercados na Universidad Oberta de Catalunya.

A importância do Marketing Pessoal

Apesar de muitas queixas, com razão, da influência norte-americana no Brasil, um dos legados que ficaram é, sem dúvida nenhuma, a mentalidade marqueteira deles em nossa sociedade. Essa mentalidade, junto a nossa criatividade, nos faz um país premiado quanto a propagandas e ideias publicitária. Porém, muitas vezes só nos damos conta disso quando saímos do Brasil.

Há alguns anos, minha esposa e eu nos mudamos para Espanha, viemos sem ter cursado universidade, com o intuito de crescer e descobrir novos horizontes. Uma das primeiras coisas que notei quando cheguei aqui foi a abismal diferença quanto a criatividade na publicidade, sobretudo em comerciais de TV. Logo percebi também, que nos faltava algo quanto a preocupação com a própria imagem ou mesmo na hora de interagir com outras pessoais.

A Europa em geral, sempre foi mais focada no trabalho, na produção, nas qualidades de vida e dos seus produtos, por isso é avançada em tecnologia e serviços. Eles tem excelentes ferramentas publicitarias, porém ainda falta aquele algo a mais, por isso uma pessoa criativa é muito valorizada por aqui. A Espanha foi castigada por ter sido “fechada” durante uma ditadura, que durou 36 anos. Talvez, isso explique a dificuldade para dar um passo à frente com relação a mercados e até mesmo aos seus vizinhos.

Ser sincero não quer dizer ser grosso, da mesma forma que ser educado não é falsidade. Esse velho conceito me serviu e serve muito aqui. Sabe aquele jogo de cintura brasileiro, aqui é qualidade com “q” maiúsculo. Os espanhóis são muito rudes e expressivos, quase sempre exagerados. Vim com os conceitos universais de marketing (Postura, imagem e conduta), e antes mesmo de cumprir um ano aqui já comecei a estudar Comercio Exterior em um instituto Público Privado em Barcelona. Logo, pude sentir uma atmosfera típica de que as pessoas prefeririam me ver em um bar servindo uma cerveja do que me verem ao lado delas na sala de aula.

Se conhecer e ter equilíbrio em suas ações é essencial

Aqui as pessoas se dividem em grupos étnicos, assim meu primeiro “xeque”, tanto na escola quanto na vida social, foi ter amigos de todas origens e idade, algo muito raro por aqui. Não poderia querer andar ou me aproximar apenas à pessoas inteligentes e influentes porque isso é bajulação, não combina comigo e é um tiro no pé para imagem também. Rapidamente, aprendi que a linguagem aqui usada é frequentemente a informal,com qualquer pessoa, seja professor ou policial. Então, a tacada de mestre foi tentar falar o espanhol com perfeição, deu certo! Na hora de buscar trabalho ou mesmo no instituto todos diziam: “poxa esse brasileiro como fala bem o espanhol”. Não é cômodo manter a formalidade, mas foi um tapa na mesa, uma grande ideia. Nunca se esqueçam que falar bem, olhar nos olhos, não agredir nenhuma pessoa ao mesmo tempo em que, educadamente, não se deixa ser agredidos, são coisas que funcionam sempre e para qualquer situação.

Não fui o mais popular da escola mas ganhei respeito dos professores e alunos em um momento crucial, que me deu muita confiança: A primeira apresentação oral de um trabalho! Como de costume, o tema era livre. Falei sobre a legalização da prostituição, tema atual e polêmico na época (não foi legalizado), modéstia a parte, levei com maestria, pois encontrei o equilíbrio entre a ética e o humor, isso meus caros leitores é raríssimos em países chamados desenvolvidos, já que o humor consiste em denegrir alguém e temas polêmicos são discutidos fervorosamente sem que o outro lado seja escutado. Assim fui moldando minha apresentação.

Equilíbrio é outro ponto importantíssimo na hora de construir sua imagem. Fui aplaudido de pé e ao longo do curso consegui as melhores notas quanto a apresentação de trabalhos, algo que compensou minhas notas baixas devido a diferença de nível educacional entre os dois países, idiomas e algumas taças de vinho.

O marketing pessoal é a chave

Finalizando o curso chegou a tão esperada hora de fazer um estágio. A escola passou a habitual lista de empresas conveniadas, porém não supria nem 20 % da demanda, fiz o que pude quanto porta a porta, mas não funcionou, como sempre. Quando consegui foi em uma multinacional Alemã por influência própria. Isso mesmo!  É surpreendente uma pessoa que veio sem conhecer ninguém conseguir “Quem Indique”. O segredo foi o Marketing pessoal. Quer saber como? Simples, desde o primeiro dia de aula, mentalizei que chegaria o momento, trabalhei minha imagem e minhas conversas com desconhecidos eram baseadas no profissional que eu iria me tornar. “Quem não é visto não é lembrado” meus amigos! Ninguém sabe de suas necessidades e vocês não precisam pedir nada se tudo é trabalhado de maneira natural. Em outras palavras, se você deixar para procurar as coisas na última hora, será obrigado a passar pelo desconforto de pedir favores ou se desgastará muito. Eu simplesmente comentava com as pessoas, coisas do tipo; “Logo serei um agente internacional”; “Não vejo a hora de trabalhar em aduanas”; “Você viu o que aconteceu com a economia de tal país?” e o mais importante é fazer perceptível o que você necessita sem demonstrar desespero, estar seguro e, volto a dizer: Equilibrados.

O caminho seguro para o bom networking

O marido de uma amiga de minha mulher ficou sabendo a “boca pequena” que eu logo iria me formar e me chamou para conversar, ele é gerente de logística de uma grande empresa e eu não sabia. Pronto, levou meu currículo e fiz o estágio para concluir o curso. Ele me observava e me aprovou, sentiu diferença em mim. Com certeza a cada ano sempre há quem o procure para arrumar algo na empresa.

Tenho muitas anedotas para compartilhar, porém creio que esta experiência é uma clara maneira de alcançar nossos objetivos observando o meio, evoluindo sua imagem e criando sua influência. Concluo aconselhando a vocês a não mentirem, mas a criarem um mito que possam controlar.

 

FAÇA PARTE DO PROJETO

O Implantando Marketing visa a união dos profissionais das áreas de Marketing e Comunicação Empresarial e busca formas de divulgação e crescimento dessas áreas através da Implantação de Departamentos de Marketing e Comunicação em pequenas e médias empresas. Para isso, compartilhamos experiências e conhecimentos necessários aos profissionais e empreendedores que querem se beneficiar dessa Implantação. Envie o seu currículo e escolha um dos núcleos do projeto.

Leave a Reply

1 comment

  1. Marinha Luiza

    Jonas, você é uma inspiração pra mim. Sempre soube que você iria longe e torço demais pelo seu sucesso!