Não aguento mais tanta liquidação!!!!

Mais uma temporada de liquidações, final dos festejos Natalinos, réveillon… Afinal, o vício das liquidações deve ser mantido, é um vício, e o interessante é que só se escreve uma única linguagem: Descontos. Mas será que este momento de liquidação tem sido verdadeiramente visto pelos consumidores como uma liquidação verdadeira ou apenas mais uma entre tantas outras que estamos cansados de ver, concorrer a prêmios e manter a ilusão de que estamos comprando com preços baixos de verdade?

Em minhas andanças por shoppings em diversos Estados e recebendo fotos de alunos e parceiros do marketing, em processos de observação foi possível ver claramente que os próprios lojistas não estão mais acreditando nas promoções feitas por eles mesmos. Ou seja, os lojistas e os próprios órgãos de fomento da categoria varejo “desaprenderam” a fazer liquidações ou nunca souberam… Vai saber!!!

A afirmação do “desaprendendo” vem de um processo longo de análise e observação sistêmica, na qual contabilizamos no “visual” que as lojas em anúncio de liquidação não estão cheias, ou pelo menos com um volume grande de clientes olhando preços e conferindo as ofertas. Resumindo, as lojas continuam vazias.

Estas observações, que já estão implantadas como uma rotina acadêmica tem revelado condições importantes, e nos esclarece de forma contundente que os clientes perderam o credo na palavra PROMOÇÃO, eles não acreditam, isso porque não são bobos, ou deixaram de ser.

Existem duas correntes destes consumidores: Uma que acredita que existem promoções e guarda o escasso e parco recurso financeiro para as compras nestes momentos, e outra que não acredita e não aumenta os seus gastos.

Será que tantas liquidações, com descontos encantadores são realmente verdadeiras ou são os preços dos produtos que estão altos de maneira tal a suportar por exemplo, 50%, 60% ou até 75% de desconto?

A opinião dos profissionais de marketing de todo o Brasil é que as empresas não estão utilizando os princípios consagrados da promoção de vendas, e nem adianta afirmar ou comentar por entre os dentes que este movimento é relativo ao mundo contemporâneo, é falta de conhecimento mesmo.

Estamos cansados de ouvir o discurso de que quem cuida do marketing da empresa é uma agência de publicidade, ou pior, uma agência de comunicação. Mas, eles não têm competência para cuidar do marketing de nenhuma empresa, são publicitários ou comunicólogos, quem cuida do marketing é o seu departamento interno, se não, será apenas mais uma ação de publicidade e propaganda.

Quem entende de marketing é mercadólogo, com a devida qualificação em especialização, isto só já basta para mostrar um direcionamento mais profissionalizado.

Portanto, estas promoções existentes são feitas puramente por falta de conhecimento do mercado, dos produtos, da precificação, dos clientes e das suas necessidades e desejos de consumo.

Acredito que esta enxurrada de promoções é falta de conhecimento, dos itens citados acima, e só mudaria minha opinião se me fossem mostrados gráficos de resultados das vendas e da relação investimento e margem.

Em marketing estudamos e acompanhamos as movimentações em períodos longos. Em um passado que já ficou distante, quando víamos os anúncios de promoções dormíamos cedo para acordarmos mais cedo e daí correr para esperar na porta das lojas e, invariavelmente, já tinha gente na frente… E hoje, o que vemos?

Apenas anúncios, rios de dinheiro jogados na mídia sem nenhum objetivo planejado ou prático em sua efetividade. É condição sine qua non um planejamento para que o acompanhamento seja feito. Me pergunto sempre quais são os KPI´s em voga nestas ações…

O consumidor e o mundo mudaram. Mas parece que apenas as cabeças dos donos dos negócios não mudam.

Olha que não estamos tratando daquelas ações que sujam os salões de venda com papel em tirinhas ou picados simulando serpentinas e confetes, para dar a conotação de clima de festa… Jesus, me socorra…

Promoções sem planejamento, sem uma ação eficaz ou sequer eficiente de mídia ou de PDV, vendedores mal preparados e sem orientações sobre o que deve ser feito, produtos marcados dias antes de um preço maior e na promoção volta ao preço normal (isso era no tempo da minha avó), Jesus, o que está acontecendo?

Será que estou atrasado e fora do contexto, no qual as empresas querem mesmo fazer assim, por que se acostumaram, ou cansaram dos seus negócios e querem vender? Será que é isso? Ou estou assumindo meu papel acadêmico e alertando desta forma aos riscos de perda de dinheiro por parte das empresas e consequente perda de credibilidade pelos clientes?

Fazer promoção é uma ciência, o consumidor não é mais bobo, ele sabe onde está mais barato e onde está sendo “engabelado”. Fazer promoção é coisa séria e deveria ser tratado assim. Na dúvida, busque um profissional de marketing, mas que saiba marketing de verdade, não estes de brincadeirinha que estamos vendo por aí e aos montes.

Escreva seu comentário, concordando ou discordando, queremos a sua colaboração. Leia os outros colunistas. professorfreire2008@gmail.com

FAÇA PARTE DO PROJETO

O Implantando Marketing visa a união dos profissionais das áreas de Marketing e Comunicação Empresarial e busca formas de divulgação e crescimento dessas áreas através da Implantação de Departamentos de Marketing e Comunicação em pequenas e médias empresas. Para isso, compartilhamos experiências e conhecimentos necessários aos profissionais e empreendedores que querem se beneficiar dessa Implantação. Envie o seu currículo e escolha um dos núcleos do projeto.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

2 comments

  1. Sabe qual é o problema.É que eles ( os donos de negocios, nunca empresários ) não leem e não se atualizam. Acham que sabem de tudo e que não precisam aprender. E logo de quem ? De pessoas que cursaram Marketing e que nunca pegaram no batente ? É assim que eles nos veem. E o pior. Os filhos, que sujaram as calças nos bancos das faculdades, não tem a coragem de jogar tudo prá cima, porque aquele negocio foi feito pelos pais há mil anos e sempre sustentou a familia ? Daí, imitam igualzinho convocando os mesmos parceiros. E quando acertam uma, ficam com o Rei na barriga. Vamos dar tempo ao tempo, para vwr se este varejo continua comendo migalhas. São aguias mas se comportam como galinhas.

    • VÃO CONTINUAR AINDA POR MUITO TEMPO, POIS ESTAMOS EM UM MERCADO DE POUCA CONCORRÊNCIA, MAS NOS MERCADOS DE INTENSA COMPETITIVIDADE, AÍ SIM O PROFISSIONALISMO IMPERA. BASTA OLHAR A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA.