Os desafios do endomarketing na era do teletrabalho

Com o avanço da tecnologia, novas modalidades de trabalho vêm crescendo mundo afora. Uma delas, é o teletrabalho ou trabalho remoto, no qual tem-se rompidas as barreiras do escritório e o colaborador pode trabalhar a partir de casa ou de ambiente externo utilizando dispositivos móveis. Dentre os benefícios, os especialistas destacam a flexibilidade de horários e ganho de tempo de esforço real (o funcionário não perde tempo no trânsito, por exemplo, o que diminui seu nível de stress antes mesmo de começar o dia), aumento de produtividade, uma vez que não há as distrações do escritório, aumento na agilidade para solucionar problemas que surgem, redução dos custos corporativos (com estrutura física, por exemplo) dentre outros.

Mas também existem algumas dificuldades. Umas das mais expressivas é que, o simples fato de não haver convivência diária com os colegas de trabalho, diminui no profissional a sensação de “fazer parte” de uma equipe. É claro que eles entendem os papéis de cada um, sabem como e quando se reportar no caso de uma necessidade, mas aquela conversinha no corredor na hora do cafezinho que aparentemente só atrapalha, faz falta, pois reforça o vínculo do profissional com a empresa. E esse é o tema desse post. Como o RH e os profissionais que atuam no endomarketing podem fazer para aproximar essas pessoas e trazê-las para dentro da equipe? E como manter alinhada a comunicação interna com esses profissionais distantes?

É importante, antes de tudo, que os profissionais encarregados dessa missão (o que inclui os gestores) não deixem a peteca cair e fiquem atentos aos movimentos desse profissional. Fazer acompanhamento constante da produtividade é fundamental. Esse acompanhamento pode ter métricas simples, como tarefas a cumprir, por exemplo, controle de horas x atividades executadas, etc. Além disso, é fundamental realizar reuniões constantes entre gestor x profissional e entre membros de uma equipe remota. Se for o caso, essas reuniões podem ser realizadas a distância mesmo, utilizando serviços de comunicação como Skype. Elas servirão mais do que para transmitir e receber informações, pois servem para “dar liga” entre as pessoas e medir sua satisfação e participação. É muito fácil uma empresa perder um ótimo profissional se não perceber em tempo suas insatisfações. E em época de escassez de talentos, isso seria trágico.

Outras ações devem ser feitas, como manter um “mural virtual” ou newsletter interna para comunicar as novidades da empresa, citar os aniversariantes e estimular o envio de e-mails de congratulações entre colegas, apresentar o perfil pessoal das pessoas para que descubram afinidades também é uma ideia, fazer uso de redes sociais internas ou estimular as pessoas a interagirem nas redes sociais da empresa, fazer com que as pessoas acompanhem o desenrolar das atividades da empresa, mesmo que façam parte de um núcleo/projeto diferente, etc.

Enfim… desafios existem e não há fórmulas mágicas. No Brasil, essa cultura está chegando e ainda não está enraizada. Logo, devemos usar a criatividade e acompanhar caso a caso, para tentarmos fazer cada dia um pouco melhor. E compartilhar nossas conquistas nessa área sem dúvidas nos fará construir essa história de forma positiva para as empresas. No fim, todos sairão ganhando.

FAÇA PARTE DO PROJETO

O Implantando Marketing visa a união dos profissionais das áreas de Marketing e Comunicação Empresarial e busca formas de divulgação e crescimento dessas áreas através da Implantação de Departamentos de Marketing e Comunicação em pequenas e médias empresas. Para isso, compartilhamos experiências e conhecimentos necessários aos profissionais e empreendedores que querem se beneficiar dessa Implantação. Envie o seu currículo e escolha um dos núcleos do projeto.

Leave a Reply

1 comment

  1. A palavra “teletrabalho” me lembra Domênico De Masi, sociólogo que estudei na faculdade e na época, não acredita no sistema home office devido à falta de confiança das empresas em acreditar em seus colaboradores.

    Hoje, entendo que as empresas que utilizam o sistema home office são mais produtivas e possuem profissionais mais engajados, responsáveis e focados no resultado. É muito bom trabalhar em casa, porém, trabalha-se mais e sem horário.