Relações Sindicais e a Comunicação Interna

Os sindicatos são uma peça importante na sociedade. Graças a eles, muitas classes de trabalhadores foram e são constantemente beneficiadas com melhores condições de trabalho e direitos que garantem sua integridade como pessoas.

Por outro lado, estamos num momento em que muitos trabalhadores, em diversas categorias, já possuem pela própria natureza de seu trabalho boas condições. Vamos citar, como exemplo, a área de desenvolvimento de softwares. Estamos vivendo hoje uma fase de ouro para esses profissionais, que na sua maioria tem altos salários devido a escassez de mão de obra no mercado. Além disso, as empresas têm investido cada vez mais em outros tipos de benefícios, como capacitação constante, espaços de lazer, atividades de integração, ações motivacionais e inúmeras outras, visando reter esses talentos.

Mas o que uma coisa tem a ver com a outra? Tudo! Pois essa classe também possui um sindicato e esses sindicatos tendem a tratá-los como se fossem operários de fábricas clandestinas, vitimados com salário miseráveis e carga horária excessiva. A meu ver, isso se trata de um exagero, pois na atual conjuntura, as empresas que não se adéquam perdem os bons profissionais para seus concorrentes. Quem continua trabalhando nessas empresas? Os profissionais medíocres, que não querem se capacitar ou estão tão acomodados que preferem ganhar pouco e reclamar ao invés de arregaçar as mangas e começar de novo em outro lugar.

E o que isso tem a ver com comunicação interna? Tudo! Pois embora boas empresas estejam constantemente investindo recursos e esforços nos seus colaboradores, todos os anos há o reajuste por motivo de dissídio. Muitas empresas, em especial as menores, não dão reajustes espontâneos antes de sair o tal dissídio, pois caso contrário, o acúmulo de reajustes constantes causa um rombo na folha de pagamento. Porém, nessa ocasião os sindicatos enchem a cabeça dos colaboradores colocando pessoas nos portões dos polos tecnológicos e das grandes empresas, instigando atitudes que não condizem com a boa realidade desses profissionais. E aqueles, mais influenciáveis, se deixam levar pelos “companheiros” e acabam contaminando toda uma boa relação existente.

No fim, sobre para o pessoal da comunicação interna se desdobrar para acalmar os ânimos e manter as pessoas informadas sobre o que está acontecendo e qual a postura da empresa diante disso. OS sindicatos são importantes sim, mas é necessário que haja uma revisão da forma como tratam cada categoria, caso o contrário, o país viverá em greve. E quem paga o pato? Toda a sociedade. Reflita!

FAÇA PARTE DO PROJETO

O Implantando Marketing visa a união dos profissionais das áreas de Marketing e Comunicação Empresarial e busca formas de divulgação e crescimento dessas áreas através da Implantação de Departamentos de Marketing e Comunicação em pequenas e médias empresas. Para isso, compartilhamos experiências e conhecimentos necessários aos profissionais e empreendedores que querem se beneficiar dessa Implantação. Envie o seu currículo e escolha um dos núcleos do projeto.

Leave a Reply

1 comment

  1. Olá Aline,

    Bem interessante o seu texto, ainda mais com o exemplo dos profissionais da área de TI.

    Os conflitos são inevitáveis, infelizmente, e é fundamental estabelecer um elo de segurança entre a empresa e o funcionário.

    Abraços,
    Priscila