Sexta Branca: e se esta moda pega?

Após o Black Friday, que aconteceu no dia 28/11 deste ano, vimos que no Brasil esta tradição americana provavelmente não irá vingar. Isto se os comerciantes não realizarem realmente a Black Friday, com descontos de até 50% em vez de aumentarem os valores, uma alta média de 8,5% na véspera da liquidação como mostrou uma reportagem do jornal Estadão do dia 13/12.
Um casal de Belo Horizonte, Mariana Braga e Alysson Santos, resolveram protestar por meio da rede social Facebook a sua indignação como consumidor. Denominaram Sexta Branca, que será o oposto da Black Friday, um protesto para que as pessoas fiquem sem consumir nada no dia 21/12, hoje. Sugerindo que tiremos este dia para aproveitar a vida e mostrar que todos somos mais do que aquilo consumimos. Em menos de uma semana conseguiram mais de 160 adeptos a causa.

Entrevistei a Mariana Braga para saber mais sobre esta ideia que pode vir a crescer em uma proporção ainda maior que este ano.

Como surgiu a iniciativa de criar um dia anti consumismo?
Bom, infelizmente vivemos em um país onde a mentalidade da população é voltada para TER e não SER. O brasileiro, especificamente, enfia a cabeça em juros altos (que muitas vezes nem consegue pagar) somente para adquirir um bem. No Brasil, os juros e impostos são abusivos. Um carro nacional é vendido hoje lá fora, às vezes, pela metade do preço do que é vendido aqui mesmo
(veja o video).
A Black Friday foi uma fraude, as Instituições aumentaram os valores para conceder desconto. O preto foi a cor do desrespeito aos direitos dos consumidores.
A população precisa se conscientizar de que isso tem que parar. Temos que ter voz ativa, mas, para isso, precisamos fazer por onde. Não adiante reclamar se ninguém tira a bunda do sofá.

A escolha pela data, justamente na época de maior consumo no comércio brasileiro, foi proposital ou escolhida pelo tempo para se realizar este protesto ainda em 2012?
Este ano foi escolhido pelo tempo. Mas, seria muito interessante se as pessoas aderissem ao movimento e parassem o comercio este dia. Mas, isso é um sonho…

Em menos de uma semana vocês conseguiram mais de 160 pessoas aderindo ao protesto. O que planejam para o próximo ano?
Bom, não da pra ficar martelando uma ideia na cabeça durante um ano… Importante é manter a página atualizada com informações básicas a respeito do movimento, com data já pré-definida para o próximo ano, e com informações do que vem acontecendo no mundo político e industrial. Neste meio tempo, tentar apoio junto a mídia, jornais, etc.

Quem quiser aderir ao evento, clique em Comparecerá  ou curtir a fã page

Pode ler a reportagem completa do Jornal Estadão

FAÇA PARTE DO PROJETO

O Implantando Marketing visa a união dos profissionais das áreas de Marketing e Comunicação Empresarial e busca formas de divulgação e crescimento dessas áreas através da Implantação de Departamentos de Marketing e Comunicação em pequenas e médias empresas. Para isso, compartilhamos experiências e conhecimentos necessários aos profissionais e empreendedores que querem se beneficiar dessa Implantação. Envie o seu currículo e escolha um dos núcleos do projeto.

Leave a Reply to Priscila Stuani Cancel Reply

4 comments

  1. Que a Black Friday foi frustrante, todo mundo já sabe, mas ai vem a criatividade brasileira e lança um movimento que pode dar o que falar, ainda mais se essa moda pegar.

    Um motivo a mais para prestarmos mais atenção nos clientes e não fazer ações patéticas como a que vimos…

    Parabéns pelo texto, Flávia!!

    • Flávia Rodrigues

      Isto mesmo Pri!
      O comércio tem que ver que o cliente sabe o que ele está fazendo e do que é capaz de fazer para mudar a atitude errônea deles.

      obrigada!

  2. Interessante a iniciativa. Original. Porém….
    Se o objetivo era gerar “buzz”, escolheram a época do ano e o ano errado.

    Explico:
    Época: tentar fazer qualquer “buzz” em época de Natal, corre-se o risco de “diluir” o impacto, porque é como tentar falar em meio a “uma torcida gritando gol”, ninguém vai te ouvir. Nessa época todas as mídias estão inundadas de mensagens, pelas vendas de Natal. Ok que uma mensagem anticonsumo tem até como se destacar.

    Ano: agora com esse tema de “Fim do Mundo” em 2012, qualquer mensagem nos últimos 3 dias que não falasse do 21/12/2012, calendário Maia, Fim do Mundo e outras idiotices, não teve impacto significante.
    Aliás o que teve de má notícia que resolveram soltar na mesma época para ver se o povo não percebe!

    Posso estar enganado, mas não percebi impacto algum. Mas, repito, posso estar enganado.

    Abraços e $uce$$o a todos! :)

    • Flávia Rodrigues

      Oi André,

      Realmente o dia escolhido não foi o melhor, nem a época, tanto que questionei com a Mariana sobre isto.
      A intenção era começar o movimento ainda este ano. e dar continuidade nos próximos anos. Assim poderá alcançar uma abrangência maior.

      Também não vi impacto. Muitos poucos sabiam do movimento, mas para 2013 isto pode mudar e tomar proporções miores.

      abraços