Clientes em busca de conveniência: oportunidade para pequenos varejistas On e Off-Line

Não é de hoje que os clientes estão em busca de empresas que zelam por sua satisfação, que em muitos casos significa estar a postos a qualquer dia e horário para atender suas necessidades e seus desejos.

Ficar disponível para os clientes a qualquer dia e horário também é um dos objetivos dos varejistas que com o desenvolvimento dos clientes, bem como, com o aperto realizado pelas leis vigentes (especificamente a lei seca, que proíbe a ingestão de bebidas alcoólicas àqueles que pretendem dirigir seus carros), necessitam estar dispostos a realizar entregas em horários ortodoxos para que seus clientes fiquem satisfeitos.

Com o cenário relatado acima, as grandes redes varejistas acabam por tropeçar em seu próprio tamanho. Vamos imaginar o tamanho do “nó logístico” que uma grade rede varejista deveria desatar para que serviços de entrega em horários que podemos classificar como diferentes (no meio da madrugada por exemplo). Deveriam realizar estudos de viabilidade, saber quais lojas e quais as regiões que cada loja deveria atender, bem como, demandar as entregas de acordo com os pedidos recebidos de forma descentralizada…. daria um pouco de trabalho!

É nesse momento que empreendedores varejistas de pequeno porte vislumbram uma oportunidade que está virando moda em algumas cidades brasileiras.

Com combos que variam de um simples engradado de cerveja até combos com cerveja, petiscos e preservativos, algumas empresas de e-commerce estão encontrando o seu lugar no varejo brasileiro.

A operação é simples. Em um site, ou telefone essas empresas atendem as pessoas que necessitam de produtos específicos em horários e situações em que a conveniência é o que importa, e ganham a simpatia e principalmente a lealdade dos consumidores. Uma vez conquistados, os clientes utilizam sua rede de contatos tanto on-line quanto off-line para ajudar a divulgar essas empresas, que acabam ganhando clientes de forma constante.

 Empresas como o “Boteco Entrega” e “Gelada Express” de São Paulo, “Cabou Chamou” e “As Preliminares” do Rio de Janeiro,  “Saideira BH” de Minas Gerais e “Beem Gelada” do Rio Gande do Sul, com investimentos iniciais na casa dos R$ 5 mil, em alguns casos chegam a comercializar  centenas de engradados de cerveja por mês, tudo em busca de atender o desejo de conveniência dos clientes.

Obviamente, que esse mercado como todas as “modas” mercadológicas que conhecemos (vide a mania de cupons de descontos que já vivenciamos), passará por um período de maturação, onde somente as empresas estruturadas e com plano de negócios definido e coerente sobreviverão, porém é nítido que com a ascensão de empresas desse tipo, a conveniência é um dos quesitos mais importantes que os varejistas devem se atentar a partir de agora!

FAÇA PARTE DO PROJETO

O Implantando Marketing visa a união dos profissionais das áreas de Marketing e Comunicação Empresarial e busca formas de divulgação e crescimento dessas áreas através da Implantação de Departamentos de Marketing e Comunicação em pequenas e médias empresas. Para isso, compartilhamos experiências e conhecimentos necessários aos profissionais e empreendedores que querem se beneficiar dessa Implantação. Envie o seu currículo e escolha um dos núcleos do projeto.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

4 comments

  1. Gostei do Post, como diz um velho ditado: Se você quer ser diferente, tem que fazer a diferença .. essas empresas entenderam esse conceito e implementaram de uma forma bem legal.. até os próprios nomes já dizem.. achei hilario “Cabou Chamou” rs.

    O Risco existe para todas que não souberem como se portar em relação ao mercado, lógico que um plano de negócios bem elaborado é fundamental mas a concorrência é boa pra manter a qualidade de serviço.

    Gostei do Post.

    • Clayton Alves Cunha

      Arthur,

      Obrigado pelo comentário!

      []’s

      Clayton Cunha

  2. O que posso observar, tomando como base o seu artigo, é que o consumidor não faz questão de um lugar para comprar… mas a formo como está sendo tratado neste momento mágico…. uma revelação interessante… gostei

    • Clayton Alves Cunha

      Profº Freire,

      Obrigado pelo comentário!

      []’s

      Clayton Cunha.