A dor faz a venda?

Vender mais e ter o produto ou serviço desejado pelos clientes é o sonho de qualquer empresa. Em tempos de crise econômica, no entanto, isto se torna uma tarefa mais difícil. Talvez, uma forma de ampliar a receita nesse caso é identificar as “dores” do consumidor e comunicar bem as soluções para os seus problemas.

Quando o objetivo é aumentar a conversão de leads em clientes, muitos profissionais de Marketing utilizam estratégias focadas em negócios, sem compreender muito a necessidade do seu público-alvo. Por isso, é importante não só se basear em pesquisas de mercados e técnicas de vendas, mas ir além e entender como funciona a mente do consumidor e como influenciar a sua decisão de compra.

Desejo, necessidade ou vontade. Podemos dar o nome que quiser, porém cabe ao profissional de Marketing identificar o que leva uma pessoa a comprar o seu produto ou serviço e saber como garantir a ela a melhor experiência possível nesta aquisição.

Mas até que ponto as “dores” influenciam uma compra? Segundo o Neuromarketing, campo do Marketing que estuda o comportamento do consumidor, somos capazes de influenciar pessoas a tomarem uma decisão de compra por meio de gatilhos psicológicos.

Contar uma história, instigar a curiosidade, falar do problema ou mesmo influenciar os sentidos por meio de aromas. Muitas são as formas de incentivar a venda e essas intenções de compras são classificadas pelo Neuromarketing como cíclica, contextualizada ou social.

O comportamento cíclico ocorre por meio do hábito e refere-se em sua maioria a um cliente que foi fidelizado pela empresa. Por outro lado, o comportamento contextualizado acontece quando alguém tenta justificar a compra como se fosse um “mimo” para si. Já o social, como o próprio nome diz, é quando a pessoa é influenciada por outras na sua aquisição.

Qual desses comportamentos é o ideal na compra? Você pode ter pensado no cíclico por fidelizar o cliente. Todavia, dependendo do segmento em que atua, talvez o social ou o contextualizado faça mais sentido e gere um maior volume de vendas.

Mas, acima de tudo, o mais importante é fazer a venda certa. Conheça a fundo as “dores” do cliente e ofereça produtos e serviços que, de fato, resolvam os seus problemas. Nunca incentive a compra de algo que poderá ser facilmente descartado apenas para atingir uma meta. Se o cliente ficou satisfeito e teve seus problemas resolvidos, isso pode ser a garantia de aumento nos lucros com possibilidade de novas e futuras aquisições.

E você, acha que a “dor” pode fazer a venda? Deixe a sua opinião nos comentários e até a próxima!

FAÇA PARTE DO PROJETO

O Implantando Marketing visa a união dos profissionais das áreas de Marketing e Comunicação Empresarial e busca formas de divulgação e crescimento dessas áreas através da Implantação de Departamentos de Marketing e Comunicação em pequenas e médias empresas. Para isso, compartilhamos experiências e conhecimentos necessários aos profissionais e empreendedores que querem se beneficiar dessa Implantação. Envie o seu currículo e escolha um dos núcleos do projeto.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

1 comment

  1. Sim! O consumo preenche lacunas e alivia dores! Creio que tão importante quanto conhecer seu público, seja conhecer a solução que seu produto oferece a ele. Assim poderemos saber se nossa venda será cíclica, contextualizada ou social. Gostei da reflexão!